INICIAL
Quem somos
LEIA A BÍBLIA
IDE E PREGAI
MÃES DE JOELHOS...
PRÁTICA CRISTÃ
ORAI SEM CESSAR
Pr. MAURÍCIO
FAMÍLIA SADIA
Igrejas no Brasil
USOS E COSTUMES
IR NA ADVEC
Opiniões da Júnnia
PROFECIA BRASIL
ESCATOLOGIA
CADERNO DE ORAÇÃO
Um show gospel
FALE COM ENOQUE



Não vê essa imagem? Então clique aqui com botão direito do mouse e depois em Mostrar Imagem.

 

O AMOR DE MÃE EM EXERCÍCIO

 

INTRODUÇÃO – O DIA DAS MÃES

 

A ORIGEM DO DIA DAS MÃES[1]

A mais antiga comemoração dos dias das mães é mitológica. Na Grécia antiga, a entrada da primavera era festejada em honra de Rhea, a Mãe dos Deuses.

O próximo registro está no início do século XVII, quando a Inglaterra começou a dedicar o quarto domingo da Quaresma às mães das operárias inglesas. Nesse dia, as trabalhadoras tinham folga para ficar em casa com as mães. Era chamado de 'Mothering Day', fato que deu origem ao 'mothering cake', um bolo para as mães que tornaria o dia ainda mais festivo.

Nos Estados Unidos, as primeiras sugestões em prol da criação de uma data para a celebração das mães foi dada em 1872 pela escritora Júlia Ward Howe, autora de 'O Hino de Batalha da República'.

Mas foi outra americana, Ana Jarvis, no Estado da Virgínia Ocidental, que iniciou a campanha para instituir o Dia das Mães. Em 1905 Ana, filha de pastores, perdeu sua mãe e entrou em grande depressão. Preocupadas com aquele sofrimento, algumas amigas tiveram a ideia de perpetuar a memória de sua mãe com uma festa. Ana quis que a festa fosse estendida a todas as mães, vivas ou mortas, com um dia em que todas as crianças se lembrassem e homenageassem suas mães. A ideia era fortalecer os laços familiares e o respeito pelos pais.

Durante três anos seguidos, Anna lutou para que fosse criado o Dia das Mães. A primeira celebração oficial aconteceu somente em 26 de abril de 1910, quando o governador de Virgínia Ocidental, William E. Glasscock, incorporou o Dia das Mães ao calendário de datas comemorativas daquele estado. Rapidamente, outros estados norte-americanos aderiram à comemoração.

Finalmente, em 1914, o então presidente dos Estados Unidos, Woodrow Wilson (1913-1921), unificou a celebração em todos os estados, estabelecendo que o Dia Nacional das Mães deveria ser comemorado sempre no segundo domingo de maio. A sugestão foi da própria Anna Jarvis. Em breve tempo, mais de 40 países adotaram a data.

'Não criei o dia das mães para ter lucro'

O sonho foi realizado, mas, ironicamente, o Dia das Mães se tornou uma data triste para Anna Jarvis. A popularidade do feriado fez com que a data se tornasse uma dia lucrativo para os comerciantes, principalmente para os que vendiam cravos brancos, flor que simboliza a maternidade. 'Não criei o dia as mães para ter lucro', disse furiosa a um repórter, em 1923. Neste mesmo ano, ela entrou com um processo para cancelar o Dia das Mães, sem sucesso.

Anna passou praticamente toda a vida lutando para que as pessoas reconhecessem a importância das mães. Na maioria das ocasiões, utilizava o próprio dinheiro para levar a causa a diante. Dizia que as pessoas não agradecem frequentemente o amor que recebem de suas mães. 'O amor de uma mãe é diariamente novo', afirmou certa vez. Anna morreu em 1948, aos 84 anos. Recebeu cartões comemorativos vindos do mundo todos, por anos seguidos, mas nunca chegou a ser mãe.

Cravos: símbolo da maternidade

Durante a primeira missa das mães, Anna enviou 500 cravos brancos, escolhidos por ela, para a igreja de Grafton. Em um telegrama para a congregação, ela declarou que todos deveriam receber a flor. As mães, em memória do dia, deveriam ganhar dois cravos. Para Anna, a brancura do cravo simbolizava pureza, fidelidade, amor, caridade e beleza. Durante os anos, Anna enviou mais de 10 mil cravos para a igreja, com o mesmo propósito. Os cravos passaram, posteriormente, a ser comercializados.

No Brasil

O primeiro Dia das Mães brasileiro foi promovido pela Associação Cristã de Moços de Porto Alegre, no dia 12 de maio de 1918. Em 1932, o então presidente Getúlio Vargas oficializou a data no segundo domingo de maio. Em 1947, Dom Jaime de Barros Câmara, Cardeal-Arcebispo do Rio de Janeiro, determinou que essa data fizesse parte também no calendário oficial da Igreja Católica.

(...) Divulgue este artigo para outras famílias e amigos.

 

A COMEMORAÇÃO NO MEIO EVANGÉLICO.

Algumas igrejas evangélicas têm dificuldade de conviver com as comemorações festivas do calendário e apresentam as suas razões. Sobre o dia das mães, os mais conservadores dizem que não comemoram devido à sua origem mitológica. Outras, fundamentalistas, dizem que a data está relacionada o culto à Maria. Há também os que se apresentam como bibliocêntricos e não encontram referências bíblicas como apoio. E nós, o que nós pensamos?

A origem de uma data não necessariamente serve como diretriz para a nossa conduta. Se fôssemos considerar a origem da gravata, não a usaríamos. O que dizem os escritores da Wikipédia, a enciclopédia livre:

Provavelmente, a primeira utilização de objetos de forma semelhantes às gravatas hoje conhecidas foram identificadas entre os egípcios. Arqueólogos identificaram em torno do pescoço de múmias egípcias uma espécie de amuleto conhecido como “Sangue de Ísis”. Esse objeto em ouro ou cerâmica possuía a forma de um cordão arrematado com um nó, cuja função seria de proteger o finado dos “perigos da eternidade'.

Há quem diga que todos os dias são das mães. Sim, são mesmo, inclusive hoje, 12 de maio de 2013; então, vamos comemorar prestando a nossa homenagem às mães.

 

AMOR DE MÃE E O AMOR DE DEUS

 

O que é amor?

Segundo a poesia de Victor Alexandre,[2] no grego o amor pode ser descrito de quatro formas:

Philia – Amor ao amigo; realça o carinho, união, sinceridade e amizade.

Storge – O amor familiar; o laço que une a família.

Eros – Deus grego do amor; sentimento e calor que envolvem o coração de um homem e uma mulher.

Ágape – O amor mais dedicado ao semelhante; tudo dar sem nada receber. “Deus é amor” (1 Jo 4. 8) Na Bíblia, A palavra grega para amor neste texto é Ágape.

 

Amor de mãe

Escrevendo no dia 7 de maio de 2011, Wilker escreveu: “Meus amigos, amanhã é o Dia das Mães e – por que não dizer – o dia do amor. Não há na vida algo maior, mais intenso e mais sublime do que o amor de mãe: incondicional, absoluto e irrestrito” (Por Wilker Barreto)[3]

 

O amor de Deus

 “Ninguém tem maior amor do que este: de dar alguém a sua vida pelos seus amigos” (Jo 15. 13). “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (Jo 3. 16).

O amor de mãe em exercício

O amor de mãe em exercício é o somatório do amor  Philia, Storge e Ágape que pode ser materializado na sua missão de ser mãe. Uma mãe prova o seu amor pela prole quando cumpre a sua missão de ser mãe.

 

MISSÃO DE UMA MÃE

 

CONCEBER (OU ADOTAR) – (momento mãe)

A mulher se torna mãe biológica logo após a fecundação de seu óvulo. Nesse momento também Deus coloca nele o espírito. “...Fala o Senhor, o que estende o céu, e que funda a terra, e que forma o espírito do homem dentro dele.” (Zc 12.1). Então, o que está se desenvolvendo dentro da mãe ´já tem identidade espiritual.

No caso das adotivas elas se tornam mães no momento da adoção e os filhos têm os mesmos direitos dos biológicos em todas as áreas.

Como mãe a mulher tem compromissos: Gestar, conceber (ou adotar), criar, proteger, educar, corrigir, observar, e orar.

 

GESTAR (Desenvolver em si um filho.)

Deus reservou o momento mais sublime da vida às mulheres: A gestação. Um período de dedicação, pois têm que suportar o peso do bebê por até nove meses; têm cólicas, restrições de movimentos, cuidados especiais com a alimentação e movimentos, cuidado na execução de tarefas.

Lívia Lisbôa[4] diz sobre o útero:

 

Útero, doce útero

Segura e aconchegante, a barriga da mãe atende a todas as necessidades do bebê durante os nove meses da gestação.

Mal chega ao útero da mãe, o futuro bebê é recebido com as honras de um convidado muito especial. Ele tem um compartimento só dele, confortável e aquecido, a uma temperatura de 37° Celsius. Tudo o que ele precisa está ali, à sua disposição. “Na gravidez normal, o útero é milhões de vezes melhor do que o mundo exterior”, garante o obstetra Carlos Czeresnia, do Hospital Albert Einstein, em São Paulo.

O embrião recebe, por meio do cordão umbilical, todos os nutrientes de que necessita para sobreviver e crescer. Recebe também os anticorpos, sua defesa contra as infecções, e o oxigênio, que é absorvido diretamente pelo sangue, pois os pulmões ainda não funcionam. A ureia e o gás carbônico são devolvidos à placenta, onde as trocas com a mãe recomeçam.

Imerso no líquido amniótico, o feto pode se esticar, se ajeitar e espreguiçar à vontade. Tem espaço para isso, pois a barriga da mãe aumenta o tempo todo. Aos cinco meses, ele já dá os seus primeiros pontapés. Também abre as mãos e põe o dedo na boca, sugando-o. Treina movimentos respiratórios, mexe a cabeça, engole. Sensível à luz, mantém os olhos fechados. E ouve sons: as batidas do coração materno, o sangue correndo nos vasos, o barulho estridente das buzinas e, provavelmente, uma voz terna que aprenderá a reconhecer durante nove meses, preparando-se para a hora de deixar o lugar mais confortável de toda a sua vida. Será que ele vai sentir saudade? Ainda diz Lívia Lisbôa:

Lívia Lisbôa continua falando sobre:

 

Placenta

É um tecido temporário, que só existe na gestação e funciona como um órgão especial, encarregado das tarefas que o feto não pode cumprir por si mesmo: nutrição, respiração e excreção. A placenta é expulsa minutos depois do parto

 

Cordão Umbilical

Ligado à placenta, é o canal de comunicação entre mãe e filho. Por ele passam duas artérias e uma veia, que levam e trazem as substâncias necessárias ao desenvolvimento do feto

 

Líquido Amniótico

É o meio que envolve a futura criança. Garante a temperatura ideal e a protege, amortecendo os choques externos. Sempre renovado, o líquido se torna mais escasso quando a hora do parto se aproxima. É ele que escorre quando dizemos que a gestante “rompeu a bolsa”

 

Cada um com seu sangue

Feto tem circulação independente. Dentro do útero, o sangue do feto não se mistura com o da mãe. Como os pulmões e o sistema digestório só funcionarão plenamente a partir do nascimento, é na placenta que o sangue é oxigenado. O processo ocorre totalmente separado do sistema circulatório materno. É por isso que o tipo sanguíneo do bebê não é necessariamente igual ao mãe.

 

Entrega rápida

Durante a gestação, a mãe zela pelo seu filho fornecendo-lhe proteínas, glicose e micronutrientes como o ferro e o zinco. Além disso, ela reforça sua proteção com uma bateria de anticorpos que irão efende-lo contra infecções. E abastece-o de oxigênio, essencial à vida.

O feto recebe essas substâncias por meio do sangue que corre no cordão umbilical. Em troca, ele devolve à placenta seus resíduos – gás carbônico e uréia, produtos de um metabolismo que se acelera com o crescimento.

 

O que entra e o que sai

Substâncias que a mãe fornece ao feto pelo cordão umbilical: oxigênio, proteínas, ferro, zinco, anticorpos.

Resíduos do metabolismo fetal que são enviados à placenta e eliminados pela mãe: Gás carbônico, ureia

 

Quem sabe é super

Os nove meses que um feto passa dentro do útero correspondem a dez ciclos da Lua ao redor da Terra. Ou, 40 semanas. Ou 280 dias. Mas isso é apenas uma média, pois é impossível prever a data do parto com exatidão.

 

 

AMAMENTAR

Só leite materno até os 6 meses

Os pediatras não cansam de dizer: até os seis primeiros meses o bebê não precisa de mais nada além do leite materno. E pode acreditar. Não fique pensando que o seu pequeno deve estar cansado de comer sempre a mesma coisa nas refeições. Nem água ou chazinho é necessário nesse período. Isso pode diminuir a vontade de mamar e a consequência é a diminuição na produção de leite. A conta é simples: quanto mais o bebê mama, mais leite é produzido. Portanto, nada de querer incrementar o cardápio do seu pequenino.[5]

 

Mães adotivas podem amamentar

Como uma mulher que não engravidou poderia amamentar?

'Amamentar não é somente colocar o bebê no bico do peito. Isso a mamadeira faz. Amamentar é proteger, abraçar, acolher. É um ato muito mais amplo', detalha Alberto D`Auria, ginecologista, obstetra e diretor do Hospital Maternidade Santa Joana, na capital paulista. Para uma mulher que não passou por toda a revolução hormonal de uma gestação, isso é possível graças à lactação induzida

 O processo de produção do leite materno é fruto de um estímulo repetido. Ao sugar o seio, o bebê ajuda a mandar uma mensagem para a hipófise, no cérebro. É ela que avisa que é preciso começar a produção do leite. Assim, o organismo da mãe libera dois hormônios: a prolactina, que aciona as glândulas mamárias para fabricar o leite, e a ocitocina, o hormônio responsável pela liberação do líquido. A produção da prolactina vem de ações encadeadas. 'Desde a vontade consciente e inconsciente de amamentar, passando pelo processo do pós-parto, até a proximidade física com o bebê influenciam esse processo', explica o ginecologista.[6]

 

 

MISSÃO DE UMA MÃE CRISTÃ

A missão de uma mãe cristã autêntica e criar os seus filhos para serem entregues ao ofício ministerial, ao serviço na casa de Deus, ao mercado de trabalho, à sociedade, ao cônjuge, em fim entregar ao mundo social. Em sua missão ele deve:

 

CRIAR FILHOS CONFORME A PALAVRA DE DEUS

A missão de um mãe cristã é criar os seus filhos na Lei do SENHOR . Para isto ele deve usar o manual de conduta do cristão que é a Bíblia Sagrada. Moisés escreveu:

Estes, pois, são os mandamentos, os estatutos e os juízos que mandou o SENHOR, vosso Deus, para se vos ensinar, para que os fizésseis na terra a que passais a possuir; para que temas ao SENHOR, teu Deus, e guardes todos os seus estatutos e mandamentos, que eu te ordeno, tu, e teu filho, e o filho de teu filho, todos os dias da tua vida; e que teus dias sejam prolongados. Ouve, pois, ó Israel, e atenta que os guardes, para que bem te suceda, e muito te multipliques, como te disse o SENHOR, Deus de teus pais, na terra que mana leite e mel. Ouve, Israel, o SENHOR, nosso Deus, é o único SENHOR. Amarás, pois, o SENHOR, teu Deus, de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu poder. E estas palavras que hoje te ordeno estarão no teu coração (Dt 6. 1-6).

  Mãe, exerça o seu amor criando o seu filho conforme a Palavra de Deus.

 

CRIAR FILHOS RESILIENTES

 

Lyle J. Burrup[7] explica o que é resiliência:

A definição original da palavra resiliência tinha a ver com a capacidade de um material retomar sua forma ou a posição depois de ser dobrado, esticado ou comprimido. Hoje costumamos usar a palavra para descrever a capacidade de nos recuperarmos de adversidades.” O autor diz ainda: “Ao se tornarem resilientes, os filhos compreendem e aceitam esses dois fatos. Veem a vida como desafiadora e em constante transformação, mas acreditam que podem lidar com esses desafios e essas mudanças. Encaram os erros e as fraquezas como oportunidades para aprender e aceitam o fato de que a derrota pode preceder a vitória.

Hoje, mais do que ontem, as mães estão com maior dificuldade para criar os seus filhos devido às grandes transformações sociais que o mundo está vivendo. A cada momento vemos notícias que nos assustam e quem está mais diretamente em contato com os filhos na criação é a mãe. Quando se trata de uma mãe evangélica a crise é visível devido ao confronto entre as doutrinas bíblicas e os procedimentos sociais. Sabendo disto Jesus disse: “Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo” (Jo 16. 33).

As mães cristãs lendo a Bíblia encontra a advertência: “Educa a criança no caminho em que deve andar; e até quando envelhecer não se desviará dele” (Pv 22. 6) e não hesita em cumprir, ensinando os seus filhos em casa e complementando a educação levando-os na EBD, mas quando os matriculam na escola sabe que terá maior trabalho para dar ao filho a conscientização de que tanto precisará para que ele saiba se conduzir no caminho reto. Filhos resilientes, que, mesmo encontrando ensinamento nocivos possam se manter no santo ensinamento.

Mãe, exerça o seu amor criando filho resiliente.

 

PROTEGER

Todas as vezes que falo deste verbo me lembro de um episódio que aconteceu na plataforma de Pampo. Por norma de segurança todas as vezes que uma grade de piso era tirada para acessar algum equipamento era obrigatório o uso de fitas zebradas de plástico com cores pretas e amarelas para advertir a quem passasse no local. Aquela prática alertava, mas não protegia totalmente; algum desavisado, não vendo a fita poderia cair, como aconteceu numa ocasião. Então a norma mudou, tendo então que se colocar além da fita u ma proteção de tubos de andaime, assim, por mais desatenta que estivesse o transeunte não cairia.

A proteção paterna às vezes funciona como a fita zebrada que avisa, mas não evita a queda. A mãe costuma proteger os seus filhos como os tubos de aço que impede a queda mesmo estando desatentos. É por isso que a mãe defende o filho quando ele está em situação de risco. Ele usa todas as suas forças como o aço para ter os seus filhos seguros.

O proteger aqui não se trata de cobertura no erro.

.   Mãe, exerça o seu amor protegendo o seu filho.

 

EDUCAR

“Educa a criança no caminho em que deve andar; e até quando envelhecer não se desviará dele” (Pv 22. 6).

As nossas crianças estão diante de um quadro alarmante na área da educação. Em tempos não muito longe destes dias as mães eram as principais responsáveis pela educação dos filhos devido ao modelo familiar da presença do pai com mais intensidade no mercado de trabalho e o maior tempo da mãe junto com os seus filhos. Hoje com a forte presença feminina na composição da força de trabalho o seu tempo diminuiu e as crianças ficam muito tempo sendo educados pelas mídias e as escolas; a televisão e a internet oferecendo uma série de informação nociva à criança e algumas escolas com conteúdo pedagógico repudiável, como deixou bem claro na sua mensagem gravada e disponível no Youtube com o título: Pregação com Dr. Damares Alves[8]. Na palavra da doutora vemos as artimanhas de satanás para atacar os nossos filhos com mídia perversa, educação pública contaminada por literatura pornográfica, aulas de educação sexual para crianças de 3 anos de idade e tantas outras aberrações.

Mãe, exerça o seu amor educando o seu filho.

 

CORRIGIR

A atual sociedade vive em crise e não admite correção. As desculpas são tantas e anda contam com as diversas organizações que defendem apenas a correção verbal. É verdade que certas mães evitar contrariar a criança e as deixam sem a correção. O escritor aos hebreus diz: “E, na verdade, toda correção, ao presente, não parece ser de gozo, senão de tristeza, mas, depois, produz um fruto pacífico de justiça nos exercitados por ela” (Hb 12. 11).

Quando uma criança não recebe correção, ela não aprende limites e quando cresce pensa que tudo pode ser feito e então se torna uma pessoa inconsequente. A mãe é a principal educadora e como parte da educação está a correção.

As mães cristãs devem estar atentas e pedirem a Deus instrução de como devem corrigir os seus filhos.

Mãe, exerça o seu amor corrigindo o seu filho.

 

OBSERVAR

Observar pode ser presencial ou à distância. Na infância, adolescência, juventude e enquanto o filho está sob o mesmo teto, a mãe pode exercer o importantíssimo papel de observadora.

Muitos casos que temos presenciado de desvio de conduta dos jovens e até mesmo adultos tiveram origem na infância e não foram observados pelos pais. Entre tantos casos está a homossexualidade que por diversos testemunhos pessoais foram aprendidos na infância. Ora, aprenderam porque tiveram oportunidade; se a mãe estivesse presente estaria observando o desvio e não daria oportunidade aos inocentes.

O Dr, Antonio Gilberto na década de 80 deu um estudo bíblico na ADTS onde deixou muitas recomendações aos pais que desejassem ter filhos meninos e filas meninas, como definiu ele, porém deixou bem claro que as observações necessárias requereriam muito tempo e atenção.

Crentes, vamos ficar vigilantes, o nosso Adversário não dorme.  “Sede sóbrios; vigiai; porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar” (1 Pe 5. 8).

Mãe, exerça o seu amor observando o seu filho.

 

ABENÇOAR

Sobre abençoar os filhos a Dra. Elizete Malafaia disse em sua palestra em 11/05/2013 na ADEVC Meriti que “Nossos filhos são presentes de Deus, portanto, seu valor é inestimável.” A doutora explica o que significa abençoar: “Autorizar para prosperar: no mundo espiritual, físico, emocional e material”.

A pastora Elizete lembra gênesis 12.3 e diz:

O que você precisa saber para poder abençoar seu filho:

·                    Deus quer abençoar seus filhos – Sl. 127.3;

·                    Ele quer usar você como canal de benção. (Joquebede e Maria);

·                    Você deve ser abençoada antes de abençoar seus filhos. (Ninguém pode dar o que não tem);

·                    Deus tem a fórmula da benção que devemos seguir (Dt 4.1 a 6; Dt 6.1 a 6; Dt 32.33; Sl 128);

·                    O filho sente-se amado, valorizado e importante quando é abençoado.

Disse ainda a doutora que a bênção inclui:

·                    Toque significativo;

·                    Palavra falada;

·                    Atribui valor àquele que é abençoado;

·                    Rogar, profetizar um futuro especial para quem recebe a benção;

·                    Um compromisso ativo para realizar a bênção (abençoe seu filho em todas  as fases da vida).

Encerrando o seu comentário a doutora mostrou os efeitos das bênçãos:

·                    Somos redimidas da maldição da lei – Gl 3.13

·                    Somos fortalecidas no Senhor – Ef. 6.10

·                    Somos vitoriosas – Ap.21.7

·                    Somos nascidas de Deus e o mal não nos toca I Jo. 5.18

·                    Somos supridas por Deus – Fp 4.19

·                    Passamos a ter a mente de Cristo – 1 Co 2.16

·                    Triunfaremos em Cristo – 2 Co 2.14

Mãe, exerça o seu amor abençoando o seu filho.

 

ORAR

Graças a Deus que um exército de mães tem se levantado para orarem pelos seus filhos. O projeto Desperta Débora é uma prova disto, “São mães intercessoras, biológicas, adotivas ou espirituais, de qualquer denominação, comprometidas a orar diariamente por seus filhos e pela juventude, por no mínimo 15 minutos diários.”[9]

Na Internet encontramos muitos pedidos de oração pelos filhos. Somente em um site encontrei uma lista com mais de trinta motivos de oração.

Deus atende as orações que atendam aos requisitos básicos:

·         Glorificação, louvor e adoração a Deus; (Ex 14);

·         Os resultados alcançados devem contribuir para a divulgação do Seu Soberano nome, (Ez 29.21);

·         A Bênção que queremos alcançar sirva para a divulgação da obra salvadora em Jesus, At (3.1-44);

·         Que seja para a nossa edificação pessoal e coletiva. “Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, mas só a que for boa para promover a edificação, para que dê graça aos que a ouvem” (Ef 4.29);

Mãe, exerça o seu amor orando pelo seu filho.

ANEXO

 

LISTA REÚNE AS `PIORES MÃES DO MUNDO`[10]

Mulheres se envolveram em situações curiosas com seus filhos.
Seleção mostra mães desligadas, apressadas e até `superqueimadas`.

O Dia das Mães, comemorado no próximo domingo (12), é uma data na qual há uma nova oportunidade para demonstrar o carinho e mostrar a importância da mulher muito importante que dá carinho, atenção, zela pela segurança dos filhos e sempre dá bons exemplos... ou não.

1.      O G1 separou uma lista com as 'piores mães do mundo', com mulheres que se envolveram em situações bizarras ou que colocaram seus filhos em verdadeiras enrascadas.

Não saia daí - No condado de Volusia, na Flórida, uma americana de 35 anos, foi presa após sair para beber com o marido e deixar o filho de 7 anos para fora do bar, já que a criança não poderia entrar no estabelecimento.

2.      Cigarro para bebê - Em Xangai, na China, uma jornalista de moda flagrou uma mãe acendendo um cigarro para uma criança, que brincava no Parque Fuxing. A mulher ficou chocada ao ver o bebê rindo enquanto segurava o cigarro e tossia enjoada.

3.      Polícia para crianças - Uma mulher de Indian Harbor Beach, na Flórida (EUA), ligou para o serviço de emergência e requisitou um policial em sua residência. O “chamado” era para que a polícia assustasse seus filhos de 1 e 3 anos com o objetivo de ser “respeitada”.

4.      Mãe desligada - Na Rússia, uma mãe se distraiu mexendo em sua bolsa e não percebeu que o carrinho no qual estava seu bebê começou a descer em direção a uma rua extremamente movimentada e, por pouco, nada aconteceu à criança.

5.      Esqueceram de mim - Uma mulher de 30 anos, foi presa em Fort Pierce na Flórida (EUA), após esquecer o filho de três anos em uma loja de departamento e se lembrar apenas uma hora depois.

6.      Mãe ‘superqueimada’ - Uma mulher de 44 anos, ficou famosa nos EUA após ser acusada de deixar sua filha de 5 anos entrar em uma cabine de bronzeamento, provocando queimaduras na garota.

7.      Família do crime - Com a ajuda da filha, uma  mulher de 57 anos, foi acusada de roubar pelo menos quatro bancos norte-americanos nos estados do Texas, Luisiana e Mississipi.

8.      Apressada - Uma jovem foi presa em Phoenix, no Arizona (EUA), após 'esquecer' seu bebê de cinco semanas em cima do carro. A criança estava em um bebê conforto e caiu de cima do veiculo, mas não ficou ferida.

9.      Mordidas maternas - Por causa de uma briga motivada pelo som muito alto, uma americana que estava bêbada, mordeu a perna da própria filha que tentava tirar o CD do aparelho. Ela acabou presa por agressão.

10.  Direção perigosa - Em 2011, uma mulher, na época com 37 anos, foi presa na cidade de Surprise, no estado do Arizona (EUA), acusada de ter atropelado a própria filha após uma discussão. A filha sofreu apenas ferimentos leves.



[1] Fonte: http://www.portaldafamilia.org/artigos/texto026.shtml.

Texto compilado das seguintes fontes:

- Pesquisa de Daniela Bertocchi Seawright para o site Terra, http://www.terra.com.br/diadasmaes/odia.htm

Fontes / Imagens: Norman F. Kendall, Mothers Day, A History of its Founding and its Founder, 1937.

· Main Street Mom · West Virginia Oficial Site - O Guia dos Curiosos - Marcelo Duarte. Cia da Letras, S.P., 1995.- Revista Vtrine - artigo - Abril, S.P., 1999

 

 

[2] Disponivel em: http://www.recantodasletras.com.br/poesias/32663. Copiado em 10/05/2013

[3] http://blogs.d24am.com/artigos/2011/05/07/amor-de-mae/

 

[4] Disponível em: http://super.abril.com.br/cotidiano/utero-doce-utero-442940.shtml Copiado em 10/05/2013

[5] Disponível em http://guiadobebe.uol.com.br/so-leite-materno-ate-os-6-meses/ Copiado em 11/05/2013

[6] Disponível em: http://bebe.abril.com.br/materia/maes-adotivas-podem-amamentar, Copiado em 11/05/2013.

[7]Disponível em  http://www.lds.org/liahona/print/2013/03/raising-resilient-children?lang=por&clang=por Copiado em 11/05/2013.

[10] Disponível em: http://g1.globo.com/dia-das-maes/2013/noticia/2013/05/dia-das-maes-lista-reune-piores-maes-do-mundo.html. Copiado em 06/05/2013. 05/05/2013 14h48- Atualizado em 05/05/2013 14h48


EU DEPENDO DA GRAÇA DE DEUS

Site pronto: NetFacilita